PRO SACC – ADITIVO PROBIÓTICO PARA CAVALOS

PRO SACC – ADITIVO PROBIÓTICO PARA CAVALOS

O Pro SACC é um aditivo probiótico para equinos composto por um concentrado de levedura viva (Saccharomyces cerevisiae) e enriquecido com aditivo probiótico (mananoligossacarídeos). Utilizado na alimentação dos cavalos, ele complementa a função de melhoria da micro flora intestinal e colabora na absorção de nutrientes.

A cepa de Saccharomyces cerevisiae, que constitui o produto, foi selecionada para sobreviver às condições adversas existentes no estômago dos monogástricos e atingir o intestino grosso com alta viabilidade. No intestino grosso esta cepa de levedura interage com a flora existente promovendo uma verdadeira revolução.

O uso de ProSacc (concentrado de leveduras vivas) vêm sendo incorporado na alimentação de equinos com resultados muito promissores. Estes resultados têm sido explicados por diversos pesquisadores. Existem evidências científicas importantes que mostram que para se obter estes benefícios, a concentração de células vivas que devem alcançar o ceco e colo, é determinante, sendo necessária a suplementação com doses diárias iguais ou superiores 50 bilhões de UFC/g dependendo da faixa etária.

Disponível para venda:
Balde de 10 kgs
Potes de 1 kgs

 ARTIGOS RELACIONADOS:

O que são leveduras? O que são Saccharomyces cerevisiae?

Leveduras são organismos unicelulares eucariotos pertencentes ao reino dos fungos. Em outras palavras, são micro-organismos fermentadores ativos de carboidratos que se reproduzem por esporulação. A espécie de levedura mais utilizada na nutrição de ruminantes e monogástricos é a Saccharomyces cerevisiae. Atualmente existem mais de duas mil cepas registradas no Instituto Luis Pasteur (França). Essa levedura é comumente encontrada no ambiente ruminal dos ruminantes, porém não possui capacidade de colonizar o trato digestivo devido a uma limitação do ambiente ruminal quanto à temperatura e à composição do fluido ruminal. Por isso, a ingestão diária de levedura torna-se necessária. Diante disso, várias empresas de nutrição animal incluem essa levedura em seus produtos de uso diário.

De maneira geral, os produtos comerciais que contêm leveduras são compostos de leveduras vivas e meio de cultivo que passam por um processo de desidratação com o objetivo de manter a capacidade fermentativa desses micro-organismos. Alguns produtos trabalham com o conceito de leveduras mortas. Seu mecanismo de ação envolve mecanismos não relacionados a processos metabólicos exercidos pelas leveduras vivas. Tais mecanismos não serão explorados neste artigo.

Os produtos disponíveis no mercado variam quanto a cepas específicas e o número variável de células vivas expressas por ufc/g (unidade formadora de colônia por grama). Um ponto muito importante a ser analisado pelos produtores e nutricionistas diz respeito à escolha de produtos que contêm leveduras comprovadas experimentalmente, pois nem todas as espécies de Saccharomyces cerevisiae apresentam resultados positivos.

Saiba mais dos benefícios da utilização de leveduras na alimentação de equinos:

O conhecimento das práticas nutricionais é essencial para coordenar um bom programa alimentar ao animal; contudo, é necessário conhecer juntamente com as atividades e características específicas de cada animal, o funcionamento da fisiologia digestiva dos equinos, para adequar as suas necessidades e maximizar o aproveitamento dos nutrientes fornecidos.

Entre os aditivos utilizados na produção animal, destacam-se os probióticos, os quais trazem benefícios à saúde do hospedeiro, não deixam resíduos nos produtos de origem animal e não promovem resistência às drogas. Estes contêm microrganismos e substâncias que propiciam o balanceamento microbiano intestinal adequado e contribuem efetivamente para a melhoria na absorção dos nutrientes pelo organismo animal. As leveduras têm sido administradas aos animais há centenas de anos seja na forma de mosto fermentado, subprodutos de fábricas e destilarias ou como produtos comerciais especialmente produzidos para alimentação animal. São microrganismos anaeróbios facultativos, o que significa que podem sobreviver e crescer, com ou sem oxigênio.

Atualmente, foram conduzidas várias pesquisas demonstrando a importância do equilíbrio na microbiota intestinal, através de alimentação adequada, favorecendo o crescimento de uma microbiota benéfica, e assim melhorando o aproveitamento alimentar e desenvolvimento do animal.

Saiba como o Pro SACC pode contribuir para vida de seu cavalo:

Atualmente, os benefícios da levedura viva Saccharomyces cerevisiae são reconhecidos mundialmente, apoiados por resultados de pesquisas realizadas em instituições de renome internacional. Sabe-se que essas leveduras são usadas para estimular enzimas digestivas e tentar estabelecer um equilíbrio desejável dos microorganismos intestinais.

Modde ação

  1. Diminuição da contagem de bactérias patogênicas gerada pela produção de componentes antibacterianos, competição por nutrientes e competição por sítios de ligação;
  2. Alteração do metabolismo microbiano, pelo aumento ou queda da atividade enzimática;
  3. Proporciona maior imunidade pelo aumento do nível de anticorpos ou da atividade macrófaga.

A suplementação com Saccharimyces cerevisae aumenta a concentração de células vivas viáveis no ceco e cólon quando trabalhado com a suplementação mínima de 100 bilhões de UFC/dia. A suplementação modifica o pH e as concentrações do ácido lático e amônia.

Analisando a influência da cultura de S. cerevisae na digestibilidade e na taxa de passagem de alimentos em cavalos alimentados com concentrado e volumoso em proporções iguais, estudos concluem que a suplementação com levedura melhora a digestibilidade e consequentemente a conversão alimentar.

Com isso, a suplementação dos equinos resulta em uma melhor condição corporal, além de otimizar processos tanto produtivos quanto reprodutivos , e redução dos transtornos metabólicos como cólicas e laminítes (Medina et al., 2002).

Benefícios:

  1. Protege a saúde intestinal contra a invasão e colonização dos patógenos, reduzindo significativamente problemas de diarréia (Rueda, 2000);
  2. O uso dessas leveduras leva a manutenção da saúde pelo fortalecimento do sistema imunológico (Luzio, 1979);
  3. Melhora os níveis de hemoglobina e hematócrito através do estimulo a síntese de vitaminas do complexo B (Campbell, 1989; Lesaffre, 2000);
  4. Aumenta a conversão alimentar, que por sua vez, melhora o condicionamento para executar tarefas de trabalho com menos fadiga, mostrando maior vitalidade, força e resistência (Leon 2001);
  5. Diminuição em até 20% da frequência cardíaca e respiratória antes e após o exercício (Campbell, 1989; Leon 2001);
  6. Depois da sexta semana de consumo foram encontrados níveis menores de lactato plasmático após o exercício (Campbell, 1989);
  7. Aumenta os níveis de triglicerídeos e glicerol plasmático que estão associados a um aumento de ácidos graxos livres no plasma, mostrando que as leveduras promovem a utilização de gordura corporal o que proporciona aos animais um maior desempenho atlético (Kolterman, 1993).

Saiba como acabar com a ingestão de fezes do seu cavalo:

A ingestão de fezes por animais recebe o nome de “Coprofagia”.  Os cavalos que apresentam este distúrbio, ingerem suas próprias fezes em uma quantidade substancial, e em alguns casos, quase todas as fezes produzidas no dia.

Esse comportamento é aceitável em potros nas primeiras duas semanas de vida, pois entendemos que essa ingestão ajuda na formação da flora intestinal do animal, por isso que as fezes ingeridas muitas vezes são da mãe.

Entretanto, a coprofagia em cavalos adultos é considerado anormal, pois pode ser induzida por determinadas circunstâncias que merecem nossa atenção:

  1. Animais confinados em baias, com pouco exercício ou dieta de volumoso insuficiente;
  2. Animais submetidos a restrições alimentares durante grande período de tempo; e
  3. Pode estar relacionado a infestações de parasitas estomacais;

Excluídas essas possíveis causas é importante lembrar que a qualidade dos alimentos concentrados vem crescido a cada dia com foco na melhoria dos resultados e essa qualidade associada a uma baixa digestibilidade é um prato cheio para o surgimento desse tipo de problema.

Nesses casos, contudo, os problemas são diversos pois será observado a diminuição do apetite, performance, possível surgimento de diarreias e perdas de peso. Fato curiosos e notório é que a coprofagia aumenta o risco da infestação de endoparasitas pela constante ingestão de fezes infectadas.

O ProSacc, aditivo probiótico da Univittá promete acabar com esse problema, pois aumenta substancialmente a digestibilidade da dieta, eliminando assim a presença do alimento “in natura” nas fezes, tornando a ingestão das mesmas um hábito totalmente desagradável para o animal. Vale a pena experimentar e os resultados serão observados a partir de 25 dias de uso do produto.

“Efecto de la dosis de levaduras Saccharomyces cereviciae y períodos de consumo sobre los niveles de lactato en plasma de equinos cuarto de milla”

El uso de alimentos funcionales (AF) como los probióticos del tipo de la levadura Saccharomyces cereviciae en la alimentación de equinos, se ha venido empleando en la experimentación y producción de esta especie con resultados alentadores. Estos resultados se han traducido en efectos positivos sobre la flora intestinal (Stokes, 1998) además de la protección de la salud intestinal contra la invasión y colonización de microorganismos patógenos, disminuyendo significativamente problemas de diarreas (Rueda 2000). De igual manera, el uso de estas levaduras conlleva a la protección de la salud mediante el reforzamiento al sistema inmunológico a través de estímulo al sistema complementario (De Luzio, 1979). También se ha encontrado que mejoran los niveles de hemoglobina y hematocrito a través de estimular la síntesis de vitaminas del complejo B (Lessafre, 2000). La presencia y actividad de este tipo de levaduras ha comprobado que mejora la utilización digestiva de componentes de la fibra y mejor retención de nitrógeno (Lessafre, 2000)

Al mejorar la utilización digestiva de nutrientes, se mejora a su vez la condición física (ganancia de peso) para realizar faenas de trabajo con menor cansancio demostrando mayor vitalidad y resistencia. Este hecho lo comprueban datos de De León (2001) quien en mediciones antes y después de ejercicio con potros pura sangre encontró frecuencias respiratorias (FR) y cardiacas (FC) menores en un 20% vs caballos sometidos a la misma actividad pero sin consumo de levaduras. Otro antecedente fundamental el cual es la base para la realización de este trabajo son los resultados obtenidos por (Campbell, 1989) utilizando levaduras del tipo Sacharomyces cereviciae en cuartos de milla, donde reporta que hasta la sexta semana fue cuando se encontró efectos significativos que indicaron niveles plasmáticos de lactato más bajos, post ejercicio, con un producto a base de levaduras con menos 10 billones de levaduras/gr. El hecho de una mayor concentración de levaduras permitiría una mayor sobrevivencia de levaduras a las acciones digestivas pre ciego y colon del caballo, donde ejercerían su real trabajo de simbiosis. Sobre este particular (Stebbens & Cuddeford, 2001) encontraron que con el consumo de 12 gr/an/día de levaduras, se obtuvo una tasa de sobrevivencia a la digestión pre cecal próxima al 33%, la cual resultó adecuada para una buena y significativa desaparición de la materia seca, fibra detergente neutro (FDN), digestibilidad de la materia seca, FDN y proteína con sus positivos aportes al componente nutricional de la dieta. En este mismo sentido (WEESE, 2000) señala que existe una reacción normal digestiva del equino a no facilitar la colonización de su tracto por microorganismos y para lograr poblaciones que ejerzan efectos positivos se necesitan consumos mínimos de 100 billones de levaduras/día.

“Efecto de una suplementación dietética a base de leveduras vivas de Saccharomyces cerevisiae sobre el desempeño en potros pura sangre durante la etapa de crecimiento”

El estudio consistió en evaluar el desempeño de la ganancia de peso diaria y alzada a la cruz, de Potros en crecimiento con edades de 12 a 18 meses, tratados con levaduras vivas de Saccharomyces cerevisiae; además se evaluó el efecto de este tratamiento sobre constantes fisiológicas como: Hematocrito, Hemoglobina, Frecuencia Cardiaca y Respiratoria. Para ello se utilizaron cuarenta Potros de Raza Pura Sangre, divididos en dos grupos de 20 animales según tratamientos (Suplementados y No Suplementados), los cuales a su vez se dividieron en cuatro subgrupos (10 machos y 10 hembras). Se tomaron los datos en seis períodos mensualmente de enero a junio de 2001. La dieta fue suministrada a base de forraje y concentrado, en una relación de 67.41 a 33.59% de la materia seca, según el peso vivo. Además a los animales suplementados se les suministraba 11 gramos diarios de levaduras vivas de Saccharomyces cerevisiae con una concentración de 10,000 billones por gramo. La ganancia de peso presentó diferencia altamente significativa (P<0.001), con respeto a los períodos y tratamientos; no así con respeto al sexo de los animales y a la interacción de período por tratamiento (P<0.05). La alzada a la cruz tuvo discrepancia entre sexo y períodos de suplementación (P<0.001); al igual que diferencias significativas de tratamiento (P<0.05). la hemoglobina y el hematocrito tuvieron un comportamiento similar, discrepando en forma altamente significativa entre los tratamientos (P<0.001). la frecuencia respiratoria inicial no discrepó con respecto al sexo, tratamientos e interacción período por tratamiento (P<0.05), la frecuencia respiratoria final y la magnitud del cambio en la frecuencia respiratoria varió en forma altamente significativa según sexo, tratamiento, período e interacción período por tratamiento (P<0.05), mientras que la magnitud del cambio entre la frecuencia cardiaca inicial y final, presentó una variación altamente significativa con respeto a los tratamientos, siendo los animales suplementados, los que presentaron una variación menor en su frecuencia cardiaca post ejercitación. Denotando esto que los animales suplementados con levadura viva de Saccharomyces cerevisiae, presentan una mejor capacidad para un buen desempeño atlético.

Indicado:
Indicado para aves, suínos, equinos, bovinos de corte e leite, caprinos e ovinos. Contribui para o equilíbrio da microbiota ruminal e intestinal. Sendo de uso exclusivo em alimentação animal.

Composição:
Saccharomyces cerevisiae (Aditivo Probiótico) e Parede Celular de Levedura (Aditivo Prebiótico)

Modo de Usar:

  • Equinos Potros até 1 ano: 5g/dia
  • Equinos Potros acima de 1 ano e adultos: 10g/animal/dia
  • Equinos em treinamento: 20g/animal/dia
  • Ruminantes: 5g/animal/dia Aves e suínos: de 0,3 à 2kg/tonelada de alimento completo

PRO SACC – ADITIVO PROBIÓTICO PARA CAVALOS
PRO SACC – ADITIVO PROBIÓTICO PARA CAVALOS
PRO SACC – ADITIVO PROBIÓTICO PARA CAVALOS